Movimento BASTA oficializa-se com rosto de Salvador Ramos a desafiar todos a um “Pacto de Regime”

Artigo publicado no STP Press. Autor: Ricardo Neto.

São-Tomé, 07 Jun 2022 ( STP-Press ) – O recém-criado Movimento Basta foi esta tarde oficialmente apresentado ao País com rosto do diplomata Salvador Ramos, ex-ministro dos Negócios Estrangeiro do governo do ADI,  que na qualidade do Presidente da Comissão Instaladora, convidou todos políticos para assumirem num “diálogo construtivo”  um “Pacto de Regime” visando “desenvolvimento sustentável” de São Tomé e Príncipe.

“Urge colocar um Basta, em tudo quanto nos vem prejudicando, nos vem dividindo, nos vem martirizando, nos vem tornando, uns inimigo dos outros, quando temos a consciência de que todos juntos ainda somos poucos para os desafios de transformar São Tomé e Príncipe num País mais prospero”, disse Salvador Ramos que defendeu um pacto de regime com vista, sobretudo, a “institucionalização do Fórum Permanente de Consulta dos Partidos Políticos”

“ o Movimento Basta convida a todos os actores políticos são-tomenses para na base de um diálogo construtivo, coerente e sério subscrevamos e assumamos solenemente perante a nação e o mundo um Pacto de Regime centrado nos seguintes vetores de curto, médio e longo prazo”, sublinhou Salvador Ramos no seu discurso.

A além da “Institucionalização do Fórum Permanente de Consulta dos Partidos Políticos e Revisão da constituição da República, como alguns dos vetores deste Pacto de Regime, Salvador Ramos citou ainda “elaboração de um plano nacional de desenvolvimento sustentável, diálogo permanente com a sociedade e reforço da democracia e do Estado de Direito bem como “Revisão de ordenamento do território e administração territorial”.

O “Exercício da autoridade de Estado, Promoção de unidade nacional e do pluralismo nos órgãos da comunicação social, Reforma e modernização da justiça, do sistema nacional de saúde da educação e da segurança social, Institucionalização da alta autoridade de luta contra a corrupção, Reforma fiscal e concessão e elaboração da política externa do Estado” foram ainda citados como vetores do supracitado pacto de regime.

“Líderes arrogantes, preconceituosos e prepotentes inviabilizam a possibilidade de um diálogo constritivo”, disse o presidente da Comissão Instaladora do Basta, sublinhando que “é preciso fazermos diferente, pois, a realidade exige de nós foco e determinação. O País reclama uma alternativa e o Basta compromete-se a ser a alternativa que o País precisa.

 “A partidarização de cargos e funções que foi introduzida na função pública tem alimentado a mediocridade, a perseguição, a exclusão social e a corrupção, o que leva muitos a alimentarem a pretensão de quererem ser, sem antes aprender”, precisou Salvador dos Ramos.

Ainda no seu discurso, Salvador dos Ramos apresentou 12 promessas eleitorais do Movimento Basta com realce para “ criação de 4.000 novos empregos através de financiamento directo aos jovens empreendedores, informatização dos serviços da saúde, nova política de aquisição e gestão de viatura de Estado, criação de um instituto da diáspora, redução do valor da carta de condução, construção de barragens hidroelétricas entre outras.

O Movimento Basta anunciado por Delfim Neves, actual presidente do Parlamento,  integrado com PCD de Danilson Cotu, é um dos concorrentes já anunciado as eleições legislativas e autárquicas de 25 de Setembro próximo.

Fim/RN

Imagens: STP Press / Movimento Basta

Artigos Relacionados

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *